quinta-feira, 10 de abril de 2014

padronagens de xadrêz - tendência no inverno 2014

♥ Neste inverno ♥, a grande aposta é no bom e velho Xadrez, uma estampa clássica & vintage que sempre será contemporânea (e eu adoro). Pra quem não sabe, existem alguns tipos de padronagens de xadrez - não, não é tudo a mesma coisa; cada padronagem recebe um nome e surgiu numa cena diferente. São eles: O xadrez Burberry, Tartan (ou Tartan Escocês), Vichy, Pied-de-poule, Pied-de-coq, Buffalo, Madras, Prince of Wales e Argyle.



Agora que você já conhece os tipos de xadrez que existem, vamos conhecer mais sobre eles:


O xadrez da Burberry não nasceu na mesma época do seu famoso trench coat (criado na segunda metade do século 19) ele só foi incorporado ao forro da peça nos anos de 1920 e desde então tornou-se uma marca registrada da grif. O padrão do Burberry é facilmente reconhecível, com linhas pretas, brancas e vermelhas sobre um fundo bege. 
♥ você pode usar assim:

___________________________________________________________________________________


O Tartan é um padrão quadriculado de estampas, composto de linhas diferentes e cores variadas. Por exemplo, podemos mencionar o uso freqüente desta estampa em kilts, indumentária típica escocesa.
♥ você pode usar assim:
__________________________________________________________________________________


Meu preferido e o mais fácil de identificar, é o típico xadrez das toalhas de mesa ou de pic-nic. Recebeu este nome por causa do balneário francês onde se originou, tornando-se notório graças a Brigitte Bardot que foi fotografada usando um biquíni em Vichy e também casou-se com um vestido da mesma estampa. 
♥ você pode usar assim:


___________________________________________________________________________________



Pied-de-poule e Pied-de-coq, tanto um quanto o outro denominam o xadrez com quadrados separados em que os desenhos da trama (transversal) e do urdume (longitudinal) referenciam as pegadas de aves (poule = galinha; coq = galo). A diferença entre os dois, é que no pied-de-coq o padrão é ampliado. Peças com esse tipo de padronagem na década de 30 eram exclusivamente masculinas, mas Coco Chanel a popularizou e os trouxe para o closet feminino.
♥ você pode usar assim:

___________________________________________________________________________________



Esse padrão de xadrez, também conhecido como "Grunge" tem como principal característica ser construído em duas cores, preto e vermelho. Apesar de ser muito associado às camisas em flanela dos lenhadores americanos, sua origem é da Escócia. Com o passar dos anos, tornou-se conhecida também em outras cores. 
♥ você pode usar assim:

___________________________________________________________________________________



Esta padronagem é mais delicada e possui linhas bem coloridas. A padronagem Madras surgiu na Índia, no final do século XIX, é caracterizada pelo uso de fios horizontais e verticais com diferentes espessuras, apresentadas em tonalidades vibrantes.
♥ você pode usar assim:

___________________________________________________________________________________



Prince of Wales ou Príncipe de Gales é assim chamado por ter se tornado popular por Eduardo VII, nome que vem do vale do Glenurquhart em Inverness-shire, na Escócia, onde o padrão foi usado à princípio pela Condessa Seafield para vestir seus guarda-caças. O padrão original desta discreta estampa de xadrez é o preto e branco, geralmente usado para roupas de alfaiataria pela predominância de cores sóbrias, como o cinza e o preto.
___________________________________________________________________________________



A origem do Argyle, assim como o xadrez Tartan, é a Escócia, pois seu padrão foi inspirado nos tartans do Clã Campbell (nativo do Condado de Argyll). Na época de sua criação em meados de 1.500, era de cor verde e branca; já quando chegou à Inglaterra em 1.700, suas tonalidades já haviam sido modificadas. Hoje em dia faz muito sucesso que com os moderninhos que gostam de um visual retrô.
♥ você pode usar assim:

___________________________________________________________________________________

Dica: O xadrez é uma estampa "forte" (queridinho da Moda, #semprepresente, clássico, #sempreficabom) e a regra universal é tentar nunca misturá-lo com outra estampa; pois estampas fortes perdem a força quando estão uma ao lado da outra - o excesso de informações que acontece entre elas acaba deixando o look desarmônico e o xadrez passa a não se comunicar da maneira que deveria.
                                                  

quinta-feira, 20 de março de 2014

trend alert: saia godê

A saia godê é aquela rodada e com movimento e cintura marcada, originada na década de 1950.
É a queridinha dos fashionistas pois sempre "volta à moda" - e é uma forte tedência pro outuno 2014. 

Mas independente de se tratar de uma tendência, o importante é você saber usar. 
E ao contrário do que todo mundo pensa, quem está acima do peso ou tem o quadril largo, também pode usar a saia godê (basta apenas ter cuidado com o comprimento da saia). E pras magrinhas é super indicado, pois cria desenho da silhueta na cintura e nos quadris. Além de ser democrática com os tipos de corpos, também é com as ocasiões. Você pode montar um look clássico ou despojado com esse tipo de saia. 

Separei duas meninas do Lookbook (com corpos diferentes) - Violet e Emel - sofisticadas e famosas usuárias do site. Já receberam milhões de acessos em suas páginas e possuem centenas de fãs vituais que adoram seguir os seus lookbooks diários. Elas se vestem muito bem e podem servir como inspiração sobre como usar a saia godê e como combiná-la com outras peças. (Por exemplo: camisetas, camisas e blusas)

Combinar a saia godê com uma camiseta mostra que o look pode ficar bastante informal e urbano. O contraste que se obtém quando usamos uma saia godê junto com uma jaqueta de couro, monta um visual com uma influência rock. Na segunda foto, num estilo mais romântico, temos a mesma informalidade mas num look delicado onde a camiseta é super simples e a saia recebe uma cor forte.
© 2008–2014 LOOKBOOK. All rights reserved.

      

Quando se usa uma camisa de manga comprida com a saia godê, também é legal deixar a meia calça de lado e mostrar um pouco de pele. A camisa dá um ar de seriedade - que pode ficar bem grunge se combinada com uma saia xadrez ou pode ser um look girly, se combinado com uma saia godê de babados. Violet e Emel são a prova de que esse tipo de saia é versátil e fica boa em corpos magrinhos e corpos maiores. 
© 2008–2014 LOOKBOOK. All rights reserved.


Também é permitido usar a saia godê nos dias de baixa temperatura sem medo de mesclá-la com uma blusa ou blusões (a meia calça também é uma ótima integrante nesse time). A saia godê tem um tipo de modelagem que pode ser feito em diversos tipos de tecidos, inclusive nos mais quentinhos (como o veludo), que seriam indicados pra quem quer ficar aquecida nos dias de frio.
© 2008–2014 LOOKBOOK. All rights reserved.

E claro: combinar o comprimento da sua saia com o seu bom-senso é a dica mais importante de todas.

sábado, 1 de fevereiro de 2014

moda masculina - lookbooks de inspiração

Pra quem não conhece o Lookbook, é um famoso site que armazena fotos das pessoas mais fashionistas do mundo (homens e mulheres - de todos os tipos e tamanhos). Lá, essas pessoas registram seus looks diários e a diversidade desses estilos faz com que esse site seja referência para pesquisa de moda e comportamento. Separei alguns lookbooks de inspiração pra inciar a seção masculina aqui no blog. (oba!) Escolhi a dedo, baseado na minha percepção de Moda. Essas fotos são de pessoas bem informadas nas tendências e confiáveis como fonte de inspiração, na minha opinião.

Veja bem. Inspiração não é cópia. Significa que você pode adotar elementos em sua própria composição.
(Apesar de você ser livre pra copiar também. Mas isso seria extremamente loser da sua parte.)

1- Kosma Cosimo, é um estudante de fotografia da Polônia. E tem um estilo super clássico londrino. Ele mistura a sobriedade das camisas, gravatas e suspensórios com jeans apertados e modernos. Camisas, blazers e coletes são elementos que sempre entram em harmonia com sapatos e coturnos. O cabelo também faz parte da composição da indumentária e nesse caso, transmite a originalidade dele.




2 - Vini Uehara, é um Designer de Moda brasileiro (conheci o Vini quando participei da Temporada de Moda da Capricho em 2011). Apesar de fazer uso de muitas referências, a maioria dos itens que ele aposta, deixam seu estilo totalmente urbano. Jaquetas de couro e calças skinny não faltam nos seus looks. O seu corte de cabelo mostra que ele é ligado em tendências.




3- Danilo Gusmao, de Campinas - São Paulo. Ele é o exemplo de que menos é mais. O seu visual - alargadores, barba e o corte de cabelo - já dão/são informações do/no look. Isso faz com que ele aposte no básico. E fica muito bom! A dica é escolher uma peça-chave chamativa, e montar um look básico e simples em cima desta peça. Ele também explora looks na tendência rocknroll com camisetas de banda, tênis e óculos à la John Lennon; tudo combinando com peças simples e cores neutras.



Visitem os seus lookbooks pra ter mais inspiração. E se não gostarem de nada, no mínimo sairão de lá com alguma informação nova de Moda. Válido, né? (O link está no nome de cada um)

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

como usar preto no verão


Ah o verão! A época mais esperada do ano chegou (ironia).

Dias quentes se aproximam e você adora usar preto - porque afinal de contas, fica bem com tudo e teoricamente emagrece. Particularmente, é a minha cor preferida pra roupas. Mas e agora?! É um problema usar preto no verão? Não! O preto é uma cor atemporal, independente de tendências, sempre "podemos" usá-lo. Ao contrário do que dizem, é permitido usar preto no verão, sim. Até mesmo no look inteiro. Mas claro, vale lembrar que o preto é a cor que absorve todos os raios luminosos e não reflete nenhum, então, vai absorver o calor de qualquer jeito. E pra que você não torre dentro da sua roupa é necessário o uso do amigo bom senso para combinar as peças certas de acordo com a intensidade do sol.


Não é nada difícil compor um look pretinho no verão. Seguem algumas dicas:
(1) O primeiro passo: aposte em peças fresquinhas - vestidos, shorts, regatas, tops e saias. (2) Combine outras cores no look; aproveite que todos os tons ficam bem com o preto. (Mas aproveite sem extrapolar). (3) Escolha SEMPRE peças com tecidos leves, com cortes fluidos ou até mesmo transparências. (4)  Óculos de sol e acessórios de cabelo deixam o look com mais cara de verão e amenizam o possível "peso" que o preto possa dar ao visual. (5) Se você quer compor um look totalmente preto, use peças leves ou curtas, tente não cobrir o colo e os braços ao mesmo tempo. (6)  Se o seu corte de cabelo for leve ou repicado é legal usar solto. Se não for, abuse dos penteados, rabos e coques. (7) Nos pés quase tudo fica bem; chinelos e sapatilhas já são subentendidos. Os tênis deixam o look esportivo, uma qualidade que combina com essa estação quente.

Pensando nisso tudo eu e minha soulsister (Lola <3) fizemos uma sessão lookbook com alguns exemplos de possíveis visuais pro verão - sintetizando todas as dicas aí de cima.




(styling by nat do valle. clicks by nat do valle e lola)


quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

os beatles na história da moda



Nos anos de 1960 os Beatles surgiram no mundo para revolucionar o cenário da música e da Moda. Depois do sucesso, guiaram as tendências de vestuário e comportamento da década. Tudo começou em 1956, quando John Lennon fundou uma banda chamada The Quarrymen, que mais tarde daria origem aos Beatles. No início da carreira de Quarrymen os músicos apostavam num visual Teddy Boy - usavam topetes a la James Dean, calça jeans e jaquetas de couro - todas as características de uma forte influência norte americana  que pairava sobre os meninos de Liverpool. E não só sobre eles, mas em todos os jovens da época.

Foi então que, os Beatles deixaram de ser seguidores a passaram a ser precursores de tendências – Isso ocorreu quando o empresário britânico Brian Epstein começou a gerir a banda e sugeriu uma mudança radical de comportamento e figurino. Os hábitos de fumar, beber, conversar e se comportar como um Rebelde Sem Causa acabava por aí; os trajes, agora, também eram outros: os Beatles apareciam na cena com um novo visual, destacando-se totalmente dos padrões da época. Estavam engravatados, de ternos impecáveis, sapatos lustrados e o cabelo com franja. O comportamento dos músicos no palco também mudou, cada um aprendeu a ser um verdadeiro gentleman. Dizem que McCartney foi o primeiro a apoiar a mudança. 


E foi nestes trajes e comportamento que a Febre Beatle começou no mundo. Logo depois de lançarem seu primeiro disco “Please, Please Me”. Ao contrário do que todo mundo pensa, os Beatles não usavam ternos por conta do movimento Mod e nem vice-versa. O mais incrível de toda a história é que eles nunca vestiram a camisa de movimento algum, o que levou eles a serem o que são. Aceitos e amados pela maioria das pessoas. Nessa época existia uma grande rixa entre os Mods e Rockers. É possível notar a postura neutra que os Beatles passaram pelos anos 60 numa cena de “A Hard Days Night” quando uma repórter questiona Ringo: “Are you a mod or a rocker?” e ele responde: “I’m a mocker”. (até porque, antes dos ternos, o visual dos Beatles era bem rocker. O que de fato os torna “Mockers”)



Ao decorrer do sucesso, o terno clássico impecável buscou uma alfaiataria com uma sutil diferença: de preto para cinza; o paletó perdeu colarinho e a lapela e a gravata ficou mais fina - uma influência do estilista italiano Pierre Cardin (criador do prêt-à-porter - um importante nome da revolução na indumentária da década). A partir daqui, o visual da banda passou a sempre ser copiado pelos fãs. E quando falamos dos fãs dos Beatles nos anos 60, falamos de uma grande parcela da população do mundo todo.



Quando lançaram “Rubber Soul”, em 1965, os Beatles já haviam conquistado o mundo. E o amadurecimento da banda não era só sonoro - o figurino avançou junto. A banda passou a colocar a sua real personalidade em seus experimentos musicais e nos seus looks. Os cabelos estavam mais compridos, as roupas já não eram mais os conjuntos ordenados e a pose de Bons Moços não era mais tão enfática. Os ternos engomados são substituídos por calças e blazers desparceirados. Os cabelos ficam levemente bagunçados. Nesse período as roupas ficavam sempre de acordo com suas experimentações musicais.




Em Junho de 1967, o oitavo disco dos Beatles veio para influenciar ainda mais o mundo da moda. “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band”, mostrou a banda bem mais ousada, com roupas mega estampadas e coloridas, bigodes e cavanhaques. Depois de Sgt. Peppers, a cartela de cores dos Beatles realmente ganhou vida e a banda passou a brincar com o conservadorismo britânico através das suas peças. E por mais diferente que o estilo fosse do contexto dos looks da carreira, aquilo realmente influenciou o mundo. Todos acreditavam nos Beatles.





Entre os anos de 1967 e 1969 eles estavam numa onda psicodélica. Gravaram filmes, passaram a trabalhar com animações, exploravam cores e sons. Nesse período o visual da banda era complementado com lenços, coletes e e chapéus. A influência dos FabFour na moda era forte. Em 1970, lançam o disco “Let it be”. Este ano traz a banda com cabelos compridos, e agora livremente, cada um no seu estilo. Eles eram os Beatles, eles podiam usar o que quisessem. A barba permaneceu junto às calças bocas de sino. O fim da banda estava próximo e cada um deles se vestia de uma forma diferente, todos numa moda totalmente anos 70 e obviamente, com inúmeras referências obtidas durante a carreira.





A banda acabou mas os músicos continuaram suas carreiras solo. E como conquistaram o mundo num nível extraordinário, claro, continuaram a influenciar a moda. Por exemplo, os famosos óculos redondos de John Lennon, acessório que ele usava na época em que morou em Nova York. É possível afirmar que boa parte desse sucesso foi resultado de uma inteligente estratégia do seu empresário Epstein. Se você pesquisar as mudanças na evolução fashion da banda, vai notar que eles sempre estiveram onde deviam estar: de acordo com o momento que o mundo vivia. Essa associação dos músicos com a história da moda, agora, é eterna. Inclusive com Stella McCartney levando o sobrenome de seu pai em suas coleções.


adoro essa ilustração que resume a evolução fashion dos Beatles.