quarta-feira, 27 de novembro de 2013

a estética tim burton

Timothy Walter Burton. Cineasta caiforniano. 55 anos. Seus trabalhos recebem inspirações de grandes nomes dos filmes de terror, como os importantes atores Vincent Price (conhecido como Mestre do Macabro) e Christopher Lee. Tim Burton é destaque do cinema e referência de Moda.


Quando era adolescente, Tim participou de um grupo chamado Ow Shit Studios (O.S.S) e conta que, adorava passar seu tempo lendo livros sombrios de Edgar Allan Poe e assistindo a filmes de terror de baixo-custo da época. Uma figura cinematográfica de extrema importância na infância de Burton é, sem dúvidas, Vincent Price, cuja filmografia influenciou e continua influenciando a carreira do diretor.

Burton ganhou uma bolsa da Disney para estudar no Instituto das Artes da Califórnia. E lá estudou Animação e foi então contratado pelo Walt Disney Studios como aprendiz. Foi durante este seu tempo na Disney que fez seus primeiros três curtas metragens: a sua mais conhecida animação em stop-motion "Vincent", e dois live-actions, "João e Maria" e "Frankenweenie". A história de Frankenweenie, que é um cachorro morto num atropelamento e ressuscitado de forma análoga ao Frankenstein, foi considerada sombria demais pela Disney, motivo que levou à demissão de Burton.


O seu apego ao horror é totalmente notável e previsível na estética dos seus filmes, desde figurino, trilha sonora até o último detalhe do cenário. Essa estética excêntrica, macabra, lúdica e com toque gótico, fazem uma mistura que acaba levando o nome de Tim Burton. Se tornou algo tão dele, que seu nome é o adjetivo que representa essas coisas todas juntas. A estética de Tim Burton é algo que o caracteriza e o destaca. Sem querer, e não assumidamente, é um representante da tendência gótica vitoriana no cinema. Seu cuidado com o figurino é tão caricato, que se analisarmos todos os seus personagens - todos poderiam fazer parte do mesmo filme.


O cenário sempre artificial, por vezes recebe influências vitorianas, árvores secas, cores musgo. A ambientação e a iluminação são obscuras de uma forma literal. A maquiagem é um fator que sempre se destaca nos filmes de Burton (levou o oscar de melhor maquiagem em Os Fantasmas se Divertem). O figurino é cuidadosamente escolhido, detalhado, monocromático, listrado e sombrio. Extremamente sombrio, tanto quanto a personalidade dos seus personagens. Solidão e amargura sempre dão o ar da graça em algum ponto de suas obras.


Colocar em papéis principais um show de aberrações, é a cara de um filme do Tim Burton. Monstros como mocinhos. Finais infelizes. Uma cidade linda e colorida, no qual o protagonista é a pessoa mais melancólica, esquisita e solitária do filme. Um olhar Tim Burton sobre o mundo seria: a combinação artificial de elementos meigos e obscuros. 

Na Moda, Tim Burton é sempre lembrado e tido como referência pra diversos estilistas do mundo todo, justamente por usar e abusar de várias referências da história da moda em seus figurinos. E a revista Vogue UK retrata e homenageia o cineasta com um editorial baseado em alguns de seus filmes mais famosos. Este editorial mostra claramente todas as referências de Burton já citadas aqui, como a exploração do "bizarro" e do "mágico". 






Um comentário: